Lei proíbe retirada de cordas vocais de cães e gatos em Massachusetts (EUA)


Cães estão latindo e gatos estão ronronando com prazer em Massachusetts, nos Estados Unidos, depois que o governador Deval L. Patrick assinou uma lei que proíbe a retirada de cordas vocais de cães ou gatos. Isto significa que os animais não serão mais submetidos a tratamentos cruéis, e cirurgias extremamente dolorosas, que podem resultar em dificuldade para respirar, engasgos crônicos e hemorragia, além de problemas psicológicos aos animais, que perdem um dos seus principais instrumentos de comunicação e sociabilização.

As pessoas retiram as cordas vocais dos animais apenas por conveniência, em vez de se preocuparem em identificar o motivo dos latidos em excesso e treinar os cães para latir menos. Vale ressaltar, no entanto, que o mau comportamento nem sempre é o motivo principal para os latidos. Os cães podem latir, grunhir e até uivar por estresse ou sofrimento.

Veterinários e protetores dos animais concordam que, para controlar os latidos, o melhor é optar pelo adestramento, que faz parte do processo de educação dos cães.

A retirada de cordas vocais de cães é proibida na Inglaterra e em outros países europeus. Mas, em vários Estados americanos, essa prática é permitida, principalmente nos lugares onde aumentam as cláusulas que proíbem que animais emitam ruído em demasiado, isto é, que simplesmente latam.

Vamos torcer para que essa lei inspire mais legisladores, e que tutores responsáveis conscientizem-se de que esta prática, além de desumana, destrói o sistema de comunicação do cão.

 

Fonte: ANDA